Como a sua loja online pode diminuir o impacto do Coronavírus

O ano de 2020 começou com uma enorme preocupação de ordem mundial: o surgimento de uma nova família de vírus e de uma nova doença: coronavírus (COVID-19).

Por ter a sua origem na China, um dos maiores fabricantes de produtos do mundo, não demorou para que a epidemia começasse a afetar o mundo do eCommerce, especialmente os dropshippers que importam seus produtos diretamente da China para os seus clientes e que viram muitos dos seus fornecedores fechar as portas e entrar em quarentena.

Porém, muitas lojas que trabalham com stocks próprios, sejam eles importados ou não, da China, podem encontrar algumas dificuldades durante o atual surto da doença. Neste artigo, vamos dar algumas dicas de como tentar diminuir ao máximo o impacto do Coronavírus e da Covid-19 no seu negócio, até que tudo volte ao normal.

O que é o Coronavírus (Covid-19)?

Segundo a Organização Mundial da Saúde, os coronavírus são uma grande família de vírus que podem causar doenças em animais ou humanos. Já a COVID-19 é a doença infecciosa causada pelo coronavírus, que foi recentemente descoberto. A transmissão acontece através de gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse ou exala.

Os sintomas mais comuns do COVID-19 são febre, cansaço e tosse seca. Porém, alguns pacientes podem também apresentar dores, congestão nasal, corrimento nasal, dor de garganta ou diarreia. E, embora não exista ainda nem uma vacina preventiva, nem uma cura para a COVID-19, atualmente o tratamento consiste em cuidar e aliviar os sintomas da doença, o que faz com a maioria das pessoas infectadas tenham recuperado.

No que diz respeito à prevenção da doença, as informações são muitas vezes desencontradas, especialmente quanto à efetividade do uso de máscaras protetoras sobre o nariz e a boca. A Organização Mundial da Saúde informa que não está comprovado que as máscaras de facto protejam as pessoas contra o coronavírus e indica que “as maneiras mais eficazes de se proteger, a si e aos outros, contra o COVID-19 são limpar frequentemente as mãos, cobrir a tosse com a curva do cotovelo ou lenço e manter uma distância de pelo menos 1 metro de pessoas que estão a tossir ou espirrar”.

Este artigo não tem o intuito de ser um guia a respeito da doença, os seus sintomas, formas de tratamento e prevenção. Por isso, recomendamos a quem busca informações mais completas, que visite regularmente o site da World Health Organization.

Como a epidemia de Coronavírus está a afetar o eCommerce

 

Provavelmente, o primeiro e maior impacto sentido pelo eCommerce aconteceu entre as lojas online que importam os seus produtos da China. Por um lado, diversas fábricas fecharam para um período de quarentena, o que causou atraso e incerteza do que diz respeito ao envio dos produtos e o prazo para tal. Por outro, muitos consumidores demonstraram preocupação em receber produtos vindos desse país, muitas vezes cancelando as suas compras ao indagar as lojas sobre a origem dos produtos, caso elas de facto tenham origem chinesa.

Além disso, com a epidemia ainda a espalhar-se entre os países, muitos governos estão em alerta considerando, inclusive, fechar fronteiras. Isso oferece um enorme impacto para o eCommerce transfronteiriço, uma vez que com fronteiras fechadas, não será possível receber produtos de fabricantes de outros países, nem enviar produtos para clientes internacionais.

Transportadoras como a UPS e a FedEx, deram o alerta de que suas operações também podem ser afetadas, especialmente em rotas que incluam regiões com muitos casos de infecções.

Porém, o facto é que tudo é muito novo e existem poucas certezas. Estamos todos a passar por este momento juntos e ao mesmo tempo, e algumas previsões de disrupção podem vir a confirmar-se, enquanto outras não. Entretanto, o que pode ser feito é a criação de um plano que chamamos de “prevenção tardia”, uma vez que uma real prevenção já deveria ter sido feita. Entretanto, quando uma epidemia surge, não há forma de se prevenir, uma vez que não foi possível prevê-la para começar. O que então chamamos de prevenção tardia, são algumas ações que as lojas online podem tomar para tentar diminuir o impacto do Coronavírus nas suas vendas e na sua marca. Assim, quando tudo estiver sob controlo, e esperamos que isso aconteça brevemente, a sua loja não só se tenha mantido firme, mas também esteja preparada para crescer.

3 Dicas para diminuir o impacto do Coronavírus (COVID-19) no seu eCommerce.

 

Procure novos fornecedores

Caso os seus principais fornecedores sejam chineses, é melhor pesquisar e buscar alternativas em países menos afetados pela epidemia, antes de ficar com um volume perigosamente baixo de stock. Isso possivelmente terá um impacto nos seus custos e aqui existem duas alternativas: arcar com a diferença de valor ou transportá-la para os seus clientes.

Caso resolva arcar com a diferença é muito importante calcular muito bem o quão viável isto é para a sua loja online. Embora algumas fábricas Chinesas já estejam a voltar a operar, é difícil dizer quanto tempo vai demorar até que tudo esteja em plena normalidade. Portanto, a pergunta que deve fazer é: o meu negócio poderá sobreviver ao mudar de fornecedor, sem alterar o preço final dos produtos? Por quanto tempo?

Se perceber que não é possível arcar com o possível incremento nos custos de compra dos seus produtos, a alternativa será passá-los, pelo menos em parte, aos seus clientes, o que é sempre muito delicado. Este será um grande teste a respeito da força da sua marca. O nosso conselho caso essa seja a sua única alternativa, é ser extremamente transparente e deixar claro ao seu público o motivo da mudança. Todos estamos a acompanhar o desenvolvimento da epidemia de COVID-19 e muitos dos seus clientes podem até sentirem-se mais seguros se souberem da sua preocupação em buscar alternativas para a situação, inclusive podendo não se importar de pagar um pouco mais pelo seu produto.

O lado positivo é que, para o futuro, já terá uma opção mais diversificada de fornecedores, o que é sempre uma boa ideia para qualquer eCommerce.

 

Fortaleça as suas vendas locais

Caso a sua loja online tenha um grande público internacional, é possível que os seus envios sejam mais afetados, uma vez que a entrada a regiões com grande incidência de infecções tem sido progressivamente restrita, como é o caso da Itália, por exemplo.

Para que o seu eCommerce não sofra uma queda tão brusca, o ideal é colocar em prática um plano de fortalecimento do seu mercado local. Campanhas de descontos em produtos e também no valor do envio, podem ajudar a sua loja online a vender mais na sua própria região, o que talvez equilibre um pouco o hiato de consumidores estrangeiros. Criar uma nova base de consumidores locais também será benéfico a longo prazo, uma vez que essas pessoas poderão sempre ter acesso aos seus produtos e que, ainda por cima, chegarão às suas mãos mais rapidamente devido à curta distância que têm de percorrer.

Em locais como os Estados Unidos, por exemplo, existe até a expectativa que o eCommerce acabe por ver as suas vendas aumentarem nas próximas semanas, porém isto provavelmente poderá ser sentido com mais força nas áreas produtos frescos e alimentícios.

 

Use o poder da informação

Assim como acontece com muitos outros fatores do eCommerce, a informação e a transparência podem ser a chave para ultrapassar este conturbado período. Caso a epidemia acabe, por algum motivo, por causar atrasos nas suas encomendas, avise os seus clientes assim que possível, de preferência deixando claro o motivo do atraso.

Se vende produtos de origem chinesa e as pessoas se mostrarem receosas quanto a recebê-los, por exemplo, informe que a própria OMS indica o seguinte:

“A probabilidade de uma pessoa infectada contaminar mercadorias comerciais é baixa e o risco de transmitir o vírus que causa o COVID-19 num um pacote que foi manuseado, transportado e exposto a diferentes condições e temperatura também é baixo.”

Caso o seu cliente ainda assim resolva que já não quer o produto e peça um reembolso, faça o seu melhor para atender a esse desejo. Pois, caso não o faça, além de possivelmente ter que lidar com custos extras relativamente a um produto que não foi aceite no momento da entrega, ainda pode perder para sempre o cliente em questão.

Os seus produtos são locais? Melhor ainda. Mais do que nunca é importante deixar clara a sua origem, o que pode deixar os consumidores mais seguros e confiantes.

Conclusão

Levando em consideração o facto de que a COVID-19 é uma doença recente, ainda é muito difícil prever os próximos passos a serem tomados pelos governos de cada nação. Igualmente, também é difícil antecipar completamente os seus possíveis efeitos, ou predizer até quando eles irão durar.

É facto porém que, tão importante quanto a precaução, é a informação. Tomar medidas que sejam benéficas para o seu negócio e para os seus clientes não apenas agora, mas também a médio e longo prazo é, até o momento, a melhor forma de se posicionar. Buscar uma diversificação de fornecedores, fortalecer as suas vendas locais e manter uma comunicação clara e transparente com os seus consumidores são medidas que podem fortalecer o seu eCommerce não apenas diante dos possíveis efeitos do Coronavírus, mas em qualquer momento.

Share on email
Email
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on pocket
Pocket

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *